Artigos

10 tendências da Logística 2017: Não basta pensar fora da caixa. Será preciso reinventar-se

Neste início de ano, muitos empresários, executivos, gestores, professores e estudantes me enviaram mensagens, buscando informações sobre as tendências logísticas para 2017. Normalmente, eles perguntam quais as tendências logísticas e, como se preparar fazer uso delas para manter /aumentar a competitividade de seu negócio, ou da empresa onde atua e, até mesma a sua competitividade no mercado de trabalho.

Sabemos que o ano de 2016 foi bastante desafiador para todos. Mas, existem duas formas de olhar para este cenário e para o que poderá ocorrer em 2017. Uma é sentar no meio fio e ficar se lamentando e, a outra (a que eu recomendo) é arregaçar as mangas e ver como os desafios podem ser transformados em oportunidades.

Em uma destas mensagens, um executivo de uma grande multinacional, me contou sobre seus desafios logísticos, projetos com recursos reduzidos, pressão por aumento de produtividade e redução de custos e é claro manter o cliente, a equipe, os vizinhos e os acionistas satisfeitos. Em sua mensagem preocupada (com razão) ele me pediu algumas orientações, o que procurei atender. Ao final de minha resposta, descrevi para ele que eu escolhi uma palavra para nortear minhas ações para 2017. E a palavra escolhida por mim foi “reinvenção”.

Penso que cada um de nós e, também as organizações, precisarão repensar os modelos logísticos usados, repensar a forma como gerir seus negócios, repensar suas parcerias, repensar a forma de gerir seus custos, repensar as relações com fornecedores, repensar como usar a tecnologia, repensar a repensar, ou seja, precisaremos reinventar a forma de atuar.

Artigos recomendados: A arte de se reinventar em um mercado tradicional

E conclui a minha mensagem para ele com a seguinte frase: “Mas, não bastará apenas pensar fora da caixa, pois pode ser que, em diversos momentos do ano de 2017, a caixa não esteja mais lá. Por isso, talvez tenhamos que reinventar este ditado.

Mas, o nosso foco aqui é compartilhar algumas das percepções que temos sobre as tendências logísticas para 2017 e, procurar entender como estas nos ajudarão neste processo de reinvenção.

Neste sentido, gostaria de compartilhar minha visão com vocês, sobre as 10 tendências que entendo que os profissionais de logística deverão estar atentos.

1. Omnichannel

Lojas físicas e virtuais estarão cada vez mais integradas gerando assim algumas mudanças substanciais na cadeia logística. Por isso é preciso que o profissional esteja atento a estas mudanças, prestando atenção em seus desafios e também nas suas oportunidades. Penso que, novos processos logísticos de processamento de pedido, previsão de demanda, gestão de estoques, transporte entre outros, precisarão ser reinventados.

2. Logística colaborativa

Necessidades de otimização de processos visando redução de custos e melhoria do nível de serviços, farão com que as empresas busquem sinergias com seus fornecedores, clientes e também seus concorrentes. Logo, o profissional de logística precisará estar cada vez mais aberto as possibilidades de parceria, buscando sempre o olhar de como otimizar os processos e os fluxos existentes na cadeia de seu negócio. O conceito de colaboração precisará ser melhor compreendido em sua essência e, muitos processos logísticos serão reinventados.

3. Produção compartilhada

Ganharão cada vez mais força as operações compartilhadas, ou seja, uma empresa tem capacidade ociosa de equipamentos e, uma outra tem demanda de produção que não consegue atender com seus recursos instalados. Estas empresas disponibilizarão suas informações (capacidade excedente e demanda) e passarão a atuar de forma conjunta. Uma disponibilizando a ociosidade de seus equipamentos e a outra contratando esta capacidade. Neste sentido, o profissional de logística precisará desenvolver ainda mais a habilidade da seleção de parceiros, bem como aprimorar a capacidade de negociação e a visão de custo total.

4. Internet das coisas

A tendências de equipamentos se comunicarem também possibilitará aos profissionais de logística, otimizar uma série de processos. Logo, será essencial entender como fazer uso destas possibilidades e, como estas poderão ser usadas para agregar valor aos clientes e ao negócio. Surgirão novos modelos logísticos e o profissional precisará estar atento a estes, repensando e reinventando formas de fazer o melhor uso desta tendência.

5. Entregas através de modais não convencionais

Se intensificarão neste novo ano, as entregas por bicicletas, drones e também por veículos não tripulados. Esta mudança precisará de novos modelos de avaliação e contratação de fretes por parte dos profissionais de logística, que precisarão reinventar os modelos de gestão de transporte atualmente usados.

6. Respeito ao Meio ambiente

Continuará crescendo a conscientização da população, os avanços da legislação e a necessidade de as empresas recuperarem valor dos produtos que precisarão fazer o caminho reverso. Neste sentido, os profissionais de logística precisarão aprimorar os processos de logística reversa.

7. Processos Enxutos

Em cenários econômicos, como os que deveremos ter em 2017, será essencial que o profissional de logística tenha como premissas o planejamento, a organização e o controle, tendo foco em conceitos já usados na filosofia lean, que orientará a redução dos desperdícios como excesso de estoque entre outros.

8. Avanços tecnológicos

Independente de questões políticas ou econômicas, provavelmente teremos avanços tecnológicos que, se bem usados, poderão possibilitar melhorias aos processos logísticos. Entretanto, é importante que os profissionais estejam atentos as reais necessidades do negócio, tomando assim cuidado com os modismos.

9. Visibilidade Informações

Cada vez mais a visibilidade das informações sobre o status da operação será essencial para a melhoria da gestão das cadeias logísticas. O profissional de logística precisará estar atento as possibilidades tecnológicas que já estão disponíveis, bem como manter-se ligado nos avanços que permitirão obter esta visibilidade de forma mais simples, rápida e menos onerosa.

10. Infraestrutura

No Brasil, teremos um ano onde, provavelmente, os investimentos em infraestrutura sofrerão impactos. Por isso é importante que o profissional de logística busque entender como estes impactos afetarão os negócios, preparando planos de contingência sempre que se se faça necessário.

Sobre o Autor:

Hélio Meirim é CEO da HRM Logística consultora & treinamento, tendo atuado, por mais de 20 anos, no Brasil e no exterior, em cargos executivos de empresas nacionais e multinacionais nos segmentos de Operadores Logísticos, Transportadores, Varejo, E-Commerce, Indústria Farmacêutica, Alimentícia, Siderúrgica, Química e Agrobusiness.

Coordena a comissão de logística do Conselho Regional de Administração – RJ, é professor, escritor e palestrante.

Contatos: [email protected] – www.hrmlogistica.com.br

Previous post

Novo presidente da Trensurb visita sede da ANPTrilhos

Next post

Evino adota sistema de Gestão de Armazenagem da Senior

Painel Logístico

Painel Logístico