Movimentação de fármacos e medicamentos ultrapassa 7,5 milhões de dólares no Comércio Exterior brasileiro

A movimentação entre o Brasil e o Exterior dos fármacos, medicamentos

Importações de fármacos no Brasil representam quase 90% do que é necessário pela indústria farmacêutica

A movimentação entre o Brasil e o Exterior dos fármacos, medicamentos e equipamentos do setor atingiu US$ 7,79 bilhões em 2015. São os dados mais recentes do mercado divulgados agora em 2017 em documento assinado pela Secretaria Nacional de Comércio Exterior (Secex), Grupo dos Profissionais Executivos do Mercado Farmacêutico (Grupemef) e Sindicato da Indústria Farmacêutica (Sindusfarma). Embora movimente grande fatia – o mercado brasileiro está entre os seis da lista mundial – há exigências dos órgãos reguladores e prazos a serem cumpridos.

Estudo da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep) aponta que as importações de fármacos no Brasil representam quase 90% do que é necessário pela indústria farmacêutica. Os principais fornecedores são Alemanha, China e Estados Unidos que, juntos, somam mais de 48% das importações brasileiras. As tratativas com Estados Unidos, Alemanha, Suíça e França são concentradas em produtos de elevado valor agregado e com maior tecnologia agregada ao produto; já às operações realizadas com China e Índia são importações realizadas pelos fabricantes nacionais e concentradas em produtos com menor valor tecnológico.

Empresas como a DC Logistics Brasil possuem expertise na movimentação de cargas para suprir o setor. A commodity fármacos e tecnologia para medicamentos tem forte representação nas atividades da companhia. “Atuamos principalmente na importação de farmoquímicos (matéria-prima) e equipamentos médicos e farmacêuticos vindos de países como Estados Unidos, França e Alemanha. São por vezes operações intercompany de grandes multinacionais, que trazem materiais para beneficiamento no Brasil”, declara Guilherme Mafra, Diretor da DC Logistics Brasil.
Mafra reforça que estas transações exigem detalhamento e conhecimento técnico, o que já rendeu diversas vezes à DC o Prêmio Infraero de Eficiência Logística, conquistado 13 vezes pela empresa. A Infraero faz um ranking dos agentes que realizam operações de Comércio Exterior e que se destacam pela eficiência em seus processos logísticos, com foco na otimização do tempo e, consequentemente, melhoria nos resultados no tratamento das mercadorias.

“Nosso foco sempre se manteve em atender a demanda do cliente de acordo com a sua necessidade e prazos. O conhecimento do mercado interno e externo, a atuação em parceria com os principais players do segmento e os 23 anos de atividades da DC Logistics Brasil garantem esse destaque no setor”, complementa Guilherme.

Publicidade