Investimento de R$ 200 mi aprimora manutenção da ferrovia

Investimento de R$ 200 mi aprimora manutenção da ferrovia

Processos modernos conferem mais eficiência e segurança; linha de Ribeirão está sendo trocada

A VLI fará um investimento de mais de R$ 200 milhões em tecnologias para aprimorar a via permanente nos próximos quatro anos. As ações vão alcançar trechos em diversas regiões do país e iniciam uma nova fase nos serviços de manutenção das linhas.

O processo de troca de dormentes da ferrovia ganhou um aliado. O recém-chegado Tie Gang é um conjunto de sete máquinas que automatiza o serviço, desde a retirada do dormente à fixação da peça nova. A atividade ganha em agilidade (mais de 1.000 dormentes por dia) e reduz riscos de acidentes de trabalho. “É um Tie Gang exclusivo, ele foi pensado para nossa demanda e reúne cinco equipamentos nacionais”, frisa o gerente geral de Engenharia Ferroviária, João Silva Júnior.

Manutenção aprimorada

Em outra vertente a VLI está aprimorando a Gestão Total do Atrito (GTA) e será, a partir de 2019, a empresa brasileira de logística com maior número de sistemas fixos eletrônicos de GTA nas duas ferrovias sob sua gestão (FCA e FNS).

Esse aparato é formado por dois tipos de equipamentos, os lubrificadores de trilhos e os aplicadores TOR. O primeiro libera graxa nos frisos das rodas dos vagões e permite a distribuição da substância por até quatro quilômetros. Já os TOR’s garantem a dispersão de um componente para modificar o atrito entre rodas e trilhos oferecendo mais aderência. O alcance também é de quatro mil metros.  Em ambos os casos, os equipamentos são acionados por sensores magnéticos mediante a passagem dos vagões.

Já são 88 aparelhos em operação e até o fim do ano que vem serão mais de 200 equipamentos e, em 2022, mais de 300 estarão distribuídos nos três corredores logísticos de maior densidade de tráfego.

Araguari_MG, 29 de maio de 2014

Esse reforço na manutenção da ferrovia vai ampliar a vida útil de trilhos, rodas, dormentes e fixações, além de reduzir os riscos de acidentes, ruídos dos trens nas curvas e ainda diminuir o consumo de combustível das locomotivas. “A VLI está aportando tecnologia de ponta nas suas ferrovias. Caminhamos para uma operação cada vezes mais segura e eficiente”, completa.

Melhoria em Ribeirão Preto

Outra atividade que reforça os investimentos da empresa nas ferrovias pode ser vista na cidade de Ribeirão Preto, interior de São Paulo. A linha que passa pelo município tem cerca de 30 anos de uso e está sendo totalmente modernizada. A região contará com 50 quilômetros renovados em 2018. Essa melhoria contempla a troca dos dormentes, a substituição de trilhos, a renovação de lastro e a correção geométrica da via, que representam um nível maior de segurança operacional. Além disso, esses trabalhos também contribuem, por exemplo, para a diminuição das interdições e restrições causadas por danos em componentes da via, consequentemente, aumentando a disponibilidade da linha para a circulação dos trens. Com a conclusão desse trecho a região passará a contar com 107 quilômetros com dormentes de concreto, e no ano que vem, esse número salta para 157. “O uso deste tipo de dormente não só aumenta a confiabilidade, segurança como também amplia muito a durabilidade da via”, explica Mário Felipetto, gerente geral do Corredor Centro-Sudeste.

Desde 2014 já foram investidos mais de 200 milhões em serviços de remodelação e renovação da linha que compõe a FCA.

A VLI tem o compromisso de apoiar a transformação da logística no país, por meio da integração de serviços em portos, ferrovias e terminais. A empresa engloba as ferrovias Norte Sul (FNS) e Centro-Atlântica (FCA), além de terminais intermodais, que unem o carregamento e o descarregamento de produtos ao transporte ferroviário, e terminais portuários situados em eixos estratégicos da costa brasileira, tais como em Santos (SP), São Luís (MA) e Vitória (ES). Escolhida como uma das 150 melhores empresas para se trabalhar pela revista Você S/A, a VLI transporta as riquezas do Brasil por rotas que passam pelas regiões Norte, Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste.

 

Publicidade