Fronius apresenta nova instalação em São Bernardo do Campo, em São Paulo.

Composto por um centro de distribuição amplo para atender o mercado nacional

A Fronius do Brasil – líder mundial em inovação e tecnologia – inaugurou em 20 de abril, sua nova sede extremamente moderna e sustentável em São Bernardo do Campo (SP) onde estarão concentrados a matriz da empresa e o centro de distribuição, ocupando uma área de 4.860 metros quadrados. “A nova Fronius proporcionará maior agilidade logística e suportará o plano de expansão da empresa no Brasil”, comenta a diretora-presidente da Fronius, Monalisa Gomes. Atualmente, a Fronius Brasil é composta por 70 colaboradores, além de 30 representantes em todo o Brasil. São três unidades de negócios que compõem a Fronius no Brasil e no mundo: Soldagem; Carregadores de baterias e Energia Fotovoltaica (inversores). No Brasil, a Fronius faturou 50 % a mais do que em 2016.

A paixão por novas tecnologias, pesquisas intensivas e soluções revolucionárias tem moldado a marca Fronius desde o dia 10 de junho de 1945 por Günter Fronius, em Pettenbach (Áustria). São mais de sete décadas pesquisando métodos inovadores e tecnológicos para as unidades de negócios. Há quatro fábricas na Áustria (Sattledt, Pettenbach, Wels, Steinhaus); uma na República Tcheca: Kumlov e mais uma nos Estados Unidos (Portage). No mundo o quadro de colaboradores passa de quatro mil pessoas, sendo mais de 400 engenheiros trabalhando no Departamento e Desenvolvimento em Thalheim (Áustria) e 107 aprendizes. Os países de maior atuação da Fronius são: Alemanha, Áustria, Estados Unidos, Austrália, Itália, México, Espanha e Brasil. Ao todo são 27 subsidiárias em quatro continentes, combinando os valores de uma empresa familiar com raízes regionais, com as visões de uma empresa global.

Em 2017, a Fronius no mundo faturou 130 milhões de Euros nas três unidades de negócios. E a previsão para este ano é crescer 15%.

Conheça as unidades de negócios

                  

A Unidade de Negócios de Energia Solar é gerenciada por Anaibel Novas. A Fronius foi consagrada duas vezes pelo Congresso Brasileiro de Geração Distribuída. Em 2015, ganhou o prêmio de Empresa “Destaque” e em 2017 foi honrada como a Melhor Fabricante de Inversores Solares. Para se ter uma ideia, a Fronius, no ano passado vendeu mais de 500 mil unidades de inversores ao redor do mundo. No Brasil foram mais de nove mil inversores. “Durante 2018, a Fronius continuará com fortes investimentos em pessoas e em estrutura para melhorar nossa capacidade operacional e logística. Estamos desenvolvendo parcerias estratégicas para melhorar o atendimento as demandas dos clientes e estamos aplicando ferramentas tecnológicas para aumentar a qualidade”, finaliza Anaibel.

Já a Unidade de Negócios de Carregadores de Baterias fica por conta da gerente Mariana Kroker, 45 anos, formada em Administração e há 27 atuando no mercado corporativo. Hoje em dia, as empresas estão cada vez mais interessadas em qualificar seus métodos durante as atividades intralogísticas. Atualmente, as operações nesta área podem representar até 25% dos gastos com as ações internas de movimentação e armazenagem. Gradativamente procuram investir em produtos sustentáveis e em processos de carregamento para otimizar o tempo de execução das atividades.

A Fronius possui soluções inteligentes, tecnológicas e assertivas, para que as empresas possam aproveitar cada vez mais seus CDs (Centros de Distribuição) ou seus espaços logísticos para outras atividades. “Para minimizar custos e, inclusive, energia elétrica, planejamos projetos de acordo com a necessidade do cliente” explica Kroker.

 

a unidade de Negócios de Solda está sob os cuidados de Claudio Sá que conta com 17 anos de experiência – sendo oito anos no segmento de solda. O processo de soldagem atinge praticamente todos os setores da economia (automobilísticos, óleo e gás, de fabricação e recuperação de peças, equipamentos e estruturas), ou seja, onde há produção, há solda.

“A Fronius tem planos para ampliar sua atuação nos mercados de óleo & gás, automobilístico, construção de navios, yellow goods (empilhadeiras, equipamentos de agrícolas como tratores), estaleiros, geração de energia, caldeiraria, açúcar e álcool, entre outros como fabricantes de bicicletas, ligas especiais, construção civil, fabricação de móveis, cervejarias e dentre outros setores” conta.

 

Publicidade