Fechamento do espaço aéreo já reflete no custo das importações

Fechamento do espaço aéreo já reflete no custo das importações
Além dos poucos voos, preço das tarifas aéreas dispararam até 1.000%
Além de dificultar a importação, agora a pandemia da covid-19 impacta o preço de serviços e produtos, especialmente os itens transportados por via aérea, conforme Aron Flemming Brito, diretor comercial da Ativo Soluções em Comércio Exterior. O fechamento do espaço aéreo para várias companhias do mundo está dificultando a importação inclusive de produtos para o combate ao novo coronavírus. “Temos vários pedidos urgentes de kits de teste, máscaras, aventais e respiradores que não conseguimos embarcar por falta de voos e, nos poucos existentes, os preços aumentaram até 1.000% em relação ao que era praticado há um mês”, observa. Uma alternativa seria o modal marítimo, que também está afetado por falta de contêineres. “Os portos estão operando com número menor de funcionários. Na verdade, a logística internacional está impactada desde o final de janeiro, quando o coronavírus parou o território chinês, apesar de a China já estar retomando suas atividades. Porém agora a pandemia parou o restante do mundo em proporções nunca vistas”, avalia Brito. O Brasil é um país muito dependente da importação, especialmente de produtos manufaturados. Ou seja, fabricados em série, de maneira padronizada e em grandes quantidades. “Do total das importações, os manufaturados representam cerca de 5,57%, seguidos por medicamentos e matérias-primas, óleo combustível, circuitos integrados e componentes eletrônicos”, explica Brito. Embora muitos brasileiros não se deem conta, são diversos os itens usados no dia a dia que vêm de outros países. Como exemplo, pode-se citar partes e peças para automóveis e ventiladores, aparelhos de ar-condicionado, combustíveis, artigos de higiene e medicamentos. “Inclusive muitos medicamentos e produtos da área da saúde que são usados no combatermos à covid-19 são importados. Isso apenas para citar alguns exemplos de produtos que são consumidos diariamente e estão sendo impactados diretamente na cadeia logística”, salienta Brito. Perspectiva de melhora após quarentena Que o pior da pandemia ainda está por vir é consenso entre as autoridades sanitárias. Por isso a adoção de medidas preventivas é fundamental para que a economia se recupere de forma mais rápida possível. “Esperarmos que, com a quarentena estabelecida no Brasil, em alguns Estados adotada de forma precoce, vamos ter melhores resultados. Por exemplo, Santa Catarina tem hoje 5 portos que podem sair na frente de outros portos importantes como o de Santos, que será o mais impactado pela pandemia”, avalia Aron Flemming Brito, diretor comercial da Ativo Soluções em Comércio Exterior. O empresário destaca a importância de SC estar conseguindo segurar o número de infectados e óbitos graças à quarentena. “Ter estabelecido a quarentena logo no início foi fundamental. Resta conscientizar a população de que esse lockdown agora fará com que nossa economia se recupere mais rapidamente mais adiante”, salienta. “Os impactos econômicos serão imediatos e teremos recessão e desemprego, porém minimizados a longo prazo se nossa economia se restabelecer mais rápido que outros países onde a epidemia fugiu do controle”, avalia. Aron Flemming Brito
PublicidadeError, group does not exist! Check your syntax! (ID: 4)