Continental orienta sobre como escolher o pneu ideal para a sua operação

Continental orienta sobre como escolher o pneu ideal para a sua operação

A escolha do pneu correto influencia diretamente em seu desempenho e vida útil, afinal eles são o principal elo de contato entre o veículo e o solo, absorvendo todos os impactos de sua atividade. Optando no momento da compra pelo modelo mais adequado para a sua operação você garante que o pneu entregue sua melhor performance e máximo desempenho.

Nesse processo, o primeiro passo é definir o tipo de uso, avaliar as condições da operação e o tipo de superfície onde serão empregados. Em uma análise inicial, são esses os principais pontos a serem considerados:

  • Em qual veículo será aplicado o pneu: empilhadeira ou veículo industrial?
  • Em que tipo de terreno será aplicado o pneu (asfalto, bloquete, terra) e qual a intensidade da operação (severa, tranquila)?
  • Qual será o tipo de deslocamento (longo, médio, curto)?
  • Qual será o tipo de ciclo do serviço (ininterrupto, intermitente, estacionário)?
  • Qual será a velocidade de trabalho predominante?
  • Qual percentual de trabalho será realizado com carga máxima?
  • Qual a altura de armazenagem da carga?

Outro ponto relevante diz respeito às expectativas do usuário em relação às suas necessidades, ao comportamento e à vida útil do pneu e leva em consideração três elementos essenciais: aspectos econômicos, segurança, confiabilidade e conforto.

“A linha de pneus comerciais especiais da Continental é a única no país a cobrir as mais diversas aplicações e necessidades a partir de quatro diferentes tipos de construção: pneumáticos radiais e diagonais; superelásticos (maciços) e sólidos (bandagens e press-on bands)”, explica Vinícius Penna, gerente de pneus especiais da Continental para o Mercosul.

Em função de sua construção, os pneus diagonais ou convencionais apresentam ótima estabilidade lateral e alta resistência a impactos. São indicados para operar em médias e longas distâncias, preferencialmente em terrenos regulares. Possuem como principais características o baixo custo de aquisição, boa capacidade de tração, maior resistência a pressões inadequadas, conforto e flexibilidade para qualquer tipo de serviço.

Já os pneus radiais se destacam por oferecer excelente durabilidade, alta capacidade de tração, conforto, baixa resistência ao rolamento com menor consumo de energia e economia de combustível, maior resistência a furos e cortes na banda de rodagem, além de menor custo por hora trabalhada quando comparado aos pneus convencionais.

Os pneus superelásticos, por sua vez, têm como principal característica a sua construção compacta, robusta e adequada para serviços extremamente árduos, destacando-se em terrenos lisos e regulares. São indicados para operar dentro ou fora de instalações industriais, em situações que apresentam grande risco de perfuração ou ataque à banda de rodagem por materiais pontiagudos e contundentes.

Vinícius Penna lembra que o emprego desses modelos leva em consideração o tipo de carga a ser transportada, as condições do ambiente e do pavimento, além de dados relativos ao equipamento: velocidade, distância percorrida, carga, peso e elevação. “Apenas após termos analisado todas essas variáveis é que estaremos aptos a indicar o melhor pneu para uma operação”, acrescenta o especialista da Continental Pneus.

Para conhecer mais sobre a linha de pneus especiais da Continental visite https://www.conti.com.br/specialty ou contate um especialista pelo e-mail vinicius.penna@continental.com

Publicidade