A revolução das atividades contínuas no setor logístico

A revolução das atividades contínuas no setor logístico

Victor Hugo Moreira*

Quando vamos ao mercado, à farmácia ou até mesmo ao shopping, normalmente não nos damos conta do tanto de trabalho e profissionais envolvidos para que aqueles milhares de produtos estejam nas prateleiras, ao nosso alcance. Todo o gerenciamento e transporte dessas mercadorias compõe um universo à parte: o da logística. É através dela que empresas despacham seu material de maneira ordenada para todos seus clientes, que por sua vez os disponibilizam para o consumidor médio.

Agora imagine gerenciar a entrada e saída de centenas de caminhões, além de controle de quantidade, armazenagem e carga de toneladas de produtos todos os dias à mão. Com a expansão do mercado, cresceu também a necessidade por soluções que dessem conta de suprir o volume absurdo de demandas.

Com isso em mente, foram criados alguns softwares para controle e gestão de processos, como o WMS (Warehouse Management System), que serve para gerenciamento de armazenagem, o YMS (Yard Management System), que cuida do gerenciamento de pátios, e o TMS (Transportation Management System), sistema que gerencia o transporte.

Basicamente, o WMS serve para organizar o estoque, ter noção do que está sendo armazenado em cada lugar, monitorar chegada e saída de mercadorias, facilitar o carregamento de caminhões, normalmente com o uso de códigos QR, códigos de barras, esteiras, transelevadores e diversas outras tecnologias casadas e, principalmente, disponibilizar o inventário sempre completo e atualizado.

Já o TMS cuida de tudo que acontece do portão para fora, no que diz respeito à entrega: rastreamento de entrega, cálculo de frete, contato com transportadoras, e por aí vai.

O YMS, no entanto, pode ser definido como o cérebro que liga todas as etapas da operação. Ao ter total controle sobre o que acontece na gestão de pátios e agendamento de docas da empresa, é possível identificar falhas, como locais em que os caminhões ficam parados mais tempo. Além disso, pode-se escalonar docas para carga e descarga, realizar agendamento de operações, planejar todo o tráfego de veículos com antecedência e ter acesso ao fluxo em tempo real dos motoristas – sempre devidamente identificados.

Grande parte dos softwares de YMS têm controle sobre tudo que acontece da porta de entrada até o estoque, e do estoque até a saída – além, é claro, das docas. Mas se engana quem pensa que essa facilidade para gerir os pátios de uma grande empresa, na palma da mão, sempre existiu.

Os softwares de gerenciamento de logística transformaram a indústria, e com ela, os funcionários. Com mais tempo hábil em mãos, sem precisar preencher tabelas manualmente, nem checar listas impressas de inventário até encontrar o que precisa – atividades que antes duravam horas, e hoje não passam de segundos -, os profissionais estão cada com mais e mais espaço para crescimento, aprendizado e especializações. A tecnologia também diminuiu, querendo ou não, a quantidade de erros humanos envolvidos no processo.

O YMS, unido ao WMS e ao TMS, são a prova de que não é apenas possível, mas imprescindível que nos adaptemos às novas tecnologias, que chegam para nos auxiliar, facilitar nossas vidas e garantir maior qualidade para quem trabalha e para quem consome.

É claro que a tendência do mercado, hoje em dia, é a de seguir o caminho da inovação, mas normalmente não temos noção do tanto que as coisas mudaram nas últimas décadas. E para melhor, obviamente. Olhando para trás, é possível imaginar que atividades tão duradouras, simples processos manuais, seriam revolucionadas de tal forma?

Analisando esse segmento, é natural que fiquemos empolgados com o futuro. Com o futuro da logística, sim, mas também da humanidade, como um todo. Quantas coisas ainda serão criadas a fim de facilitar nossas vidas? Quantas coisas fazemos hoje naturalmente, sem perceber que em alguns anos o nosso jeito estará ultrapassado? O caminho das inovações é curto no século XXI, era em que a tecnologia é, sem sombra de dúvidas, a melhor amiga do homem – e com certeza da logística.

*Victor Hugo Moreira é fundador e CEO da Trackage, empresa de soluções logísticas

PublicidadeError, group does not exist! Check your syntax! (ID: 4)